Thursday, 25 August 2016

O sal da Terra

Há muito tempo, muito ... "era uma vez" uma Revolução de Abril.
E contra a liberdade, abrangência possível e ideais, ou se sim ou se não, houve um movimento contra-revolucionário que não me apetece discernir/explanar aqui.
Mas falava-se nas "mocas de Rio Maior", barricadas com elas, e no que fariam aos vermelhos "en passant", sendo que vermelhos constituía um grande grande grupo que abrangia desde a extrema esquerda, os comunistas of course my horse, até muitos socialistas.
Havia, antes de haver auto estrada, a recta de Rio Maior, uma estrada onde os acidentes eram sempre terríveis, ou não fossem os portugueses "gajos de assapar" no acelerador sempre que lhes fosse oportuno.
Uma das anedotas/ditos que corriam nos anos 60 era uma em que o construtor dos Lamborghinis tinha perguntado "o que era isso do Porto": sendo que, em determinada época, tinha sido a localidade que mais automóveis de luxo tinha importado de Itália, cinco, se não me engano.
Em 1968 passávamos lá e tivemos um furo no pneu do Mini alugado, debaixo duma chuva impiedosa: valeu-nos ter dado boleia a um "magala" que nos ajudou.
E Rio Maior ficou ignorada, para mim, a não ser depois de bem crescidinha e de me picar a curiosidade. A salvo a pele inicial.

Nestes entretens de ir, era hora de almoço e provámos um abundante e belo cozido das carnes afamadas da região. Sem apanhar "mocada" que o preço era acessível. E não vi mocas nenhumas "en passant". Nem a contra revolução é já o que era... cruzes, isto é mais bancos e produtos afins dos capitais.

E fazendo a digestão, lá se encontraram as salinas! Na terra e na serra.






















Monday, 22 August 2016

Escaroupim II

Descobrindo sabores de rio com ele ao pé...






Enguias e carapauzinhos


do trabalho e gozo, o que se possui melhorando









Do outro lado, a aldeia que se inunda nos invernos, ficando os habitantes isolados pelas cheias: Valada do Ribatejo.


E que pena não ter uma "grande máquina de zoom" ou lentes! São tão elegantes estes movimentos das muitas aves, mesmo em frente ao cais! Garças várias, íbis-pretas, colhereiros, cegonhas, andorinhas...
e um gato-pensante nelas?





Um lugar maravilhoso.