Monday, 19 February 2018

Holanda - Amsterdam XXXII - Volendam

Ainda nos estava reservado um passeio pela beira água, num lugar de férias? e turismo.
Pelo caminho de autocarro, as imagens que, mesmo com reflexos, dão uma ideia da imensa extensão conquistada ao mar




Cidade tão organizada que parecia impossível!

Volendam, cidade de pescadores há séculos, e a suas margens de lago/mar. O chamado Mar do Norte e o golfo de Zuiderzee foram divididos e domados por dois enormes diques, dando origem ao Markermeer (onde se encontra Volendam) e o Ijsselmeer. Tudo o que tinha lido se tornava espantosa realidade diante dos olhos!







As casas e janelas enfeitadas como "lugares de estar"




Hora de almoço-volante


A saída e passeio pela avenida principal, cheia de animação (e apeteceu-me tanto comprar umas pantufas-socas!)


O porto de pesca


Voltando pelo interior da cidade,


uma sensação de bem-estar
nas ruas
nos parques


a organização das casas,  os pequenos jardins

 voltando à beira-água







E no fim, retornando para o autocarro, levando as cores e a leveza graciosa desta família, pai, mãe e 7 patinhos!

Sunday, 18 February 2018

Holanda - Amsterdam XXXI - Para Volendam - Queijaria em Katwoude

Completamente entre águas, atravessando o dique-estrada para o lado de Volendam, mais a norte.




A paragem para visitar uma famosa quinta, fábrica de queijos e "animação turística", da marca Henri Willig, em Katwoude. Valeu a pena, sim, o ambiente do lugar, as explicações, além dos queijos de marcas conhecidas e socos.


Tiravam fotografias com as meninas vestidas de forma tradicional mas eu prestei atenção às toucas rendadas...
às variedades de queijos apetitosos


ao fabrico artesanal de socos




à envolvente
às medidas antigas do leite

às casas

Aprendi que os socos tradicionais são feitos de um bloco de madeira de álamo, muito leve, e que já se encontraram socos do séc. XIII. Eram calçados, com os sapatos normais dentro, sobretudo pelos agricultores, para manter os pés secos. Lembrei-me dos "socos" da minha avó, que eram "solados" com borracha para durarem mais, e ficavam sempre à entrada da porta! E os usados no Minho, que são tão elegantes e coloridos.